Total de visualizações de página

domingo, 10 de junho de 2018

Tomara eu me faça entender!


-Para quem ainda não sabe/eu conto/ sem problema algum:
- “A viagem mais longa/ é aquela que vai da mente ao coração”!.
Ah!Algum dia/ alguém me disse isto/e eu não me esqueci jamais!

-Ou seja. Quiçá/não raro/logo/logo/ nossa cabeça capta/ ou entenda/
O que é o melhor pra todos!  O que é mais ético! E o que não presta/ Também!
Tanto é que/muitas vezes/ de imediato/ captamos muitas coisas da vida/
Só de vê-las/ ou bastando ouvi-las. Ah,isto sem dificuldade alguma!

-Entretanto / mesmo assim/ somos por demais lentos/ em mergulhar /
De pronto/sem hesitar/num processo gradual de mudanças
Transformadoras/à beça/de nós mesmos... Pra melhor!
- Mas pra quê isto/ meu Deus?
Quiçá/ assim /questione-nos nosso coração/ acomodadíssimo!
-Então/ acho/ ou penso/ que lhe diremos/ mais ou menos/ isto:
- Ora!A fim de alçarmos voo além das nossas entediantes mesmices!

-Mas/ apesar disto /quão tardo e relutante/ em aceitar mudanças/
É o nosso velhaco coração! Ele não se dispõe jamais a abandonar/ Facilmente/ sua  preguiçosa zona de conforto : - A mesmice!
E porquanto/ ele / o nosso coração preguiçoso/ torna a tal viagem
– da mente ao coração – a mais longa de todas as viagens!
-Fiz-me claro/ ou não?

RELMendes – 02/06/2018



quinta-feira, 7 de junho de 2018

O AMOR partilhador é concreto/não tolera menosprezo!


-Ou seja. O AMOR/ partilhador/ não se limita/ apenas/
À belas palavras/ no mais das vezes/ditas ao sabor
Dos arroubos de gentilezas: -Tão aconselháveis/socialmente!     
Entretanto /apenas gentilezas não é suficiente/ o bastante/
Para suprir as instâncias desse AMOR/ tão partilhador!

-Pois ele/esse  AMOR/ partilhador/do qual lhes falo/ neste agora/
Tece-se/ indubitavelmente/sem dúvidas/ em atitudes/concretas/
Absolutamente/concretas/ palpáveis/visíveis ou invisíveis/
De preferência/ desde que concretas!
E ou/ em gestos /plenos de generosidade/sem limites/
Que espantam de alegria/ até o universo espiritual /atento!
Pois este/não raro/ quando a espiá-los /por horas a fio/
Fica sempre boquiaberto e/ por demais/ enternecido...
Diante tanto encantamento a fluir/ desses sublimes gestos!

-Ah! Esse AMOR/ partilhador/ é um divino impulso dado
À noss’alma/egocêntrica/para nos conduzir ao encontro do outro/
Ou /quiçá/dos outros/ - Sem nada sequer esperar em troca -
A fim de supri-lo de presenças e/ com muita ternura/tentar
Amainar-lhe suas possíveis angustias/tantas/também concretas!
- Sobretudo/quando/lamentavelmente/seus bem-quereres
Fazem-se ausências constantes e inconcebíveis/à beça! -
E de socorrê-lo/ de pronto/ em suas tantas agruras
- Quer d’alma  quer corporais ou espirituais -
Que carece serem sanadas/imediatamente/quiçá/
Com o bálsamo do AMOR/partilhador/ sempre
A borbulhar ternura/ gratuita/e predisposto a ungir
A quem se aligeirar em acolhê-lO!

RELMendes – 07/05/2018

segunda-feira, 4 de junho de 2018

A FLOR- ANGÉLICA DO SERTÃO


Madre Maria Angélica da Eucaristia ocd

Carmelo Maria Mãe da Igreja e Paulo VI
    (Um belo exemplo de Fé!)


-Carinhosamente...convido-lhes a trilhar...comigo,
Pelos caminhos de minha eterna gratidão
À essa amada Flor-Angélica do Sertão...
Então, vamos lá ver...agora,
O que tenho, em versos, sobre ela, a dizer-lhes:

-Mas donde será mesmo, que a nós veio...
A Flor-Angélica-Sertaneja,
Esse ser humano...tão luminoso,
Tão profundamente feminino,
Tão sabiamente acolhedor,
Tão imensuravelmente maternal...
E tão aparentemente frágil...quase-etéreo,
Que...inebriado de “Divinal Amor”...
Sempre a todos encanta e ilumina
Com seu suave sorriso...discreto,
E seu maternal olhar acolhedor?

- Bom! Se verdadeiramente, assim o é, e é...
Então, revelar-lhes-ei...em prosa e versos,também,
Outros tantos ternos detalhes, maravilhosos,
Do semblante espiritual...angelical,
Dessa santa mulher, totalmente, de DEUS!

-Mas insisto, sem hesitar, em perguntar novamente:
- Donde será mesmo, que poderemos encontrar
Esse Anjo-mulher-sertaneja...tão fértil...espiritualmente,
E de tão límpida transparência...espiritual,
Que a todos nós cativou...à beça, de imediato,
Logo em que, por aqui chegou, nesse Sertão,
- Com suas santas companheiras...de comunidade,
Para a fundação de um Carmelo aqui
Em Montes Claros(MG) -
Naquele já tão distante dia...tão feliz/
Em que até um belo crepúsculo /sertanejo/
Com ela e suas companheiras/se deslumbrou/
Naquele entardecer inesquecível?

-Ah! Se por ventura, há aqui, alguém...
Dentre nós...que saiba de onde ela veio,
E aonde tão bem se esconde...agora,
Essa bendita dádiva tão celestial...pra nós/
Por favor, que se apresse em nos revelar,
I-M-E-D-I-A-T-A-M-E-N-T-E!

-Pois, se de pronto...ao chegar aqui no sertão,
Esse amado Anjo carmelitano...logo se aninhou
Em nossos acolhedores corações, sertanejos,
Também de pronto, desejamos saber logo
Donde ele, esse Anjo carmelita, veio,
Onde pousou...e aonde...verdadeiramente,
Montou, entre nós, sua tenda de ternura...
Bondade e imenso Amor!

-Ah, mas quem será mesmo... Flor-Angélica-Sertaneja,
Essa tão amada flor celestial, desse sertão sofrido...
E, em que jardim, ela mesma se plantou jubilosa
Para mais, oportunamente, nos sombrear...à beça,
Com as divinas “surpresas de Deus”?

-Bom!... Há quem diga que ela veio...
Das entranhas das surpresas de “DEUS”;
Outros afirmam...veementemente,sem hesitar,
Que ela procede do “Coração Misericordioso de Jesus”;
E outros ainda, falam que veio diretamente do “Céu”...
Pra nos consolar e nos conduzir rumo à “Casa do Pai”!...

-Entretanto...verdadeiramente, há que se dizer:
- Quer por isso...ou  por aquil’outro...
Flor-Angélica-Sertaneja  veio
- para o meio de nós, e ficou conosco! -
A fim de que...com suas constantes orações, piedosas,
Deus não nos permita jamais, que nos enveredemos
Pelas sinuosíssimas,trilhas
Desse nosso tão breve, caminhar, terreno...

-E quanto, por aqui, nessas plagas distantes,
 Aonde se plantou, enfim,
Essa tão amada Flor-sertaneja?
-
Ora! Digamos que ela mesma...
Se plantou, nos sagrados jardins
Do “Carmelo de Teresa”...
Para perfumá-los ainda mais de amor...
E pra inebriar...de felicidade e alegria,
Seu “Amado Senhor Jesus”...
Que sempre vem por ali, repousar...
No apaixonado coração, de sua amada
 Flor: - irmã Maria Angélica da Eucaristia!

Montes Claros (MG), 07-05-2014
RELMendes 


quinta-feira, 31 de maio de 2018

Vem!



-Teus cabelos são,para mim, mechas de mel.
Ah! Quero brelhar-me plenamente, por elas à noite inteira!
Teus olhos, azuis ou verdes, me fascinam
Ah! Anelo que lampejem-me a mim e a meus olhos,
;Sem cessar jamais! .
Teu corpo franzino repousa no meu regaço.
(e o meu no teu!)
Ah! Almejo, imensamente, que eles se rocem
E se enrosquem à vida inteira!
Tua ausência é sombra de tristeza.
Assaz angustiante a mim, teu apaixonado amante
Que por ti,queda-se aqui, de amores!

-Então... vem depressa,sem hesita jamais!
Para que sintamos juntos, um ao outro:
- O beijo molhado da madrugada, conivente conosco,
- O último piscar de nossa estrela, curiosa à beça,
- O calor do primeiro raio do sol,a brilhar,desavergonhado,
Em nossa alcova, totalmente, desarrumada
Pelos nossos luxuriosos desvarios de amor intenso, às nuvens!

-E, por fim, ledos...de amores dados,compartilhados
E degustados, sem restrições algumas sequer,
Desfrutemos, plenamente,então, o derradeiro suspiro
De nossos corpos satisfeitos, por instantes!

São Paulo (SP), 22 de março de 1984
RELMendes

Dedos que tocam-nos a alma Mimo à amável Raquel Crusoé Loures



-Ó/ que posso eu perguntar-me  agora/ senão:
- Donde será mesmo que nos vêm/ neste então/
Estes sons tão maviosos/que ao ouvi-los/
Aos ares espalhados/ tanto acalantam-nos
Às almas ávidas/ de alumbrarem-se/mesmo sol a pino /
Até/quiçá/ às nuvens passeadoras/ a brincarem/sem cessar/
Nos altos ares celestes?

-Ora/ saber/ bem o sei eu de onde eles vêm /aos flocos:
- Simplesmente de um piano/ qualquer piano a tocar melodias!
Mas/há/ esses -  sons - que/vez por outra/ os  auscutamos/
Enternecidos/cá pelas bandas daqui /desse Sertão amado/  
Só se exalam de um piano/ ou de qualquer piano/aos ares/
Quando  ele/esse piano/ é/ hábil e prazerosamente/dedilhado
Pelas delicadas e ágeis mãozinhas/aligeiradas em tocá-lo/
Da mais terna e bela pianista deste Sertão:
- A nossa doce Raquel Crusoé!

-Ah!Sem dúvida alguma/ não há/ nesse Sertão ou alhures/
Quem não se enterneça/profundamente/ao ouvir ou vê-la
Dedilhar com maestria as teclas/ sonoras/ de um piano/
Que/ aos toques dos dedos dela/certamente/ musicalizar-nos-á/
Sem avareza/quiçá/ a Vida inteira!

RELMendes -30/05/2018


quarta-feira, 23 de maio de 2018

Se aperceber de alguns detalhes da vida é preciso


-Quem se descuida de seus pais/ na envelhecência deles/
Perde uma excelente oportunidade de conhecê-los
Sob um novo ângulo totalmente/ oposto/ ao de provedor...
Sempre ali à disposição dos filhos, pra o quê der e vier!

-Entretanto/ quem/ resilientemente/por nada desse mundo/
Não se ausenta em cuidá-los/ na envelhecência deles/
Seguramente/  desesconderá / para si mesmo/
As pessoas maravilhosas que eles/ seus pais/
Na realidade/ o são/ no silente mistério de seu ser /
Ainda pungente de vida a pulsar/ aos borbotões/
E de sonhos e mais sonhos a pulularem/ aos flocos....
Prestes a florir ao léu!

 -Mas descobrir isto/ só  após o partir deles rumo à eternidade/
E pôr-se a lamuriar-se sobre os porquês de tanta descompaixão/
É no mínino um despautério achaquante... Ora!!

RELMendes – 22/05/2018


O que passou /passou


-Tudo é tão passageiro
Vida/ Amores/ Prazeres
-Tudo é tão veloz
Sonhos// Anelos/até Dores
E banais Bem-quereres
-Tudo mal principia
E zás/ vai-se ao vento!

-Quando nos damos conta/pronto:
Restam-nos rastros/ apenas/
Daquele tudo /tão ligeiramente pleno/
Mas também/ tão ligeiramente veloz!

-E depois/ cá quedamo-nos nós/ como fôramos
Cata-ventos a girarem tresloucados/ sem cessar/
Quiçá/ a espera do retorno/ desse tudo/ passageiro/
- Tão lmprevisivelmente/rápido -
Que não voltará/novamente/ Jamais!

RELMendes – 23/05/2018